Vitrine Esportiva

Um jogão no Engenhão

No grande jogo desta rodada da Série B, Botafogo e Cruzeiro ficaram no empate por 3 a 3 tarde deste sábado no Estádio Nilton Santos.

O primeiro tempo foi de muita movimentação, mas pouca ação. Numa das poucas investidas do Botafogo ao gol do Cruzeiro, o atacante Diego Gonçalves foi derrubado dentro da área e o árbitro Rafaell Toski Marques apontou a marca da cal, marcando pênalti para o Bota, que Chay converteu e inaugurou o placar no Nilton Santos.

Já o segundo tempo, foi totalmente diferente do primeiro. Marcelo Moreno entrou em campo e foi um dos nomes do jogo. Foram dele dois dos três gols marcados pelo Cruzeiro na partida. O primeiro, veio após um pênalti perdido pelo próprio camisa 9, que no rebote, mandou para o fundo da rede.

O Botafogo voltaria a frente do placar novamente com Chay, que aproveitou bobeira da zaga do Cruzeiro, e completou para o fundo do barbante colocando o Botafogo na dianteira do marcador.

Mas o alvinegro dormiria na partida e sofreria a virada no jogo. Gilvan jogou contra o patrimônio e igualou o marcador. Poucos minutos depois, Marcelo Moreno virou o jogo para a Raposa, semana de fora na área para o fundo do gol do Botafogo.

O empate do Glorioso chegou nos acréscimos conto Marco Antônio sofreu pênalti e Chay converteu marcando o seu terceiro gol na partida e dando números finais ao jogo.

 

BOTAFOGO: Diego Loureiro; Daniel Borges (Warley 32’/2ºT), Kanu, Gilvan, Guilherme Santos (Rafael Carioca 32’/2ºT); Pedro Castro, Barreto (Matheus Frizzo 23’/2ºT); Felipe Ferreira (Marco Antônio 23’/2ºT), Chay, Diego Gonçalves; Rafael Navarro (Rafael Moura 23’/2ºT). Técnico: Marcelo Chamusca.

CRUZEIRO: Fábio; Cáceres (Norberto 21’/1ºT), Ramon, Léo Santos (Rhodolfo/Intervalo), Jean Victor; Lucas Ventura (Flávio 31’/2ºT), Giovanni, Marcinho; Airton (Wellington Nem 23’/2ºT), Rafael Sóbis (Marcelo Moreno/Intervalo), Bruno José. Técnico: Mozart.

 

Foto: Vitor Silva / Botafogo

Materia: Igor

Outras Notícias