Volta Redonda e Brusque empatam em jogo polêmico válido pela oitava rodada da Série C Time da região do Vale do Aço e equipe catarinense fazem partida disputada que teve de (quase) tudo um pouco

Luizinho Vieira, treinador do Volta Redonda – Créditos: Site Oficial do Volta redonda – www.voltaco.com.br

Pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro da Série C, em partida disputada entre as equipes do Volta Redonda e do Brusque, terceiro e segundo colocados, respectivamente, do Grupo B, o que não faltaram foram lances polêmicos, clima tenso, e diversas alternâncias no placar. Jogando como mandante no estádio Luso Brasileiro, na Ilha do Governador, durante toda a disputa da Série C até aqui, devido ao gramado castigado do Estádio da Cidadania, localizado em Volta Redonda, antigo Raulino de Oliveira, o time da região do Vale do Aço começou o jogo melhor que seu adversário. A partida começava a dar indícios de que seria bastante pegada e movimentada, em todos os sentidos, já que com menos de dez minutos, a equipe catarinense já havia levado dois cartões amarelos devido a faltas mais duras cometidas sobre seu adversário. E com vinte minutos decorridos do tempo de jogo, foi a vez da equipe da casa levar um cartão amarelo por uma infração aplicada. Aos poucos o Brusque, vice-líder da chave e após boa campanha na Copa do Brasil, chegando até a quarta fase, começou equilibrando as ações e passou a criar algumas oportunidades de gol.

Já o único representante fluminense na Série C do Brasileiro, por sua vez, começou a se acuar demais e permitir que seu adversário tivesse mais a posse de bola. Só que aos 37 minutos do primeiro tempo, após um bom contra ataque pela direita da equipe auri-negra, a bola resvalou no braço do zagueiro catarinense e o juiz assinalou pênalti indiscutível, sem a interferência do VAR, que não é utilizado na Terceira Divisão. O jogador do Voltaço caminhou para a bola e o goleiro do Brusque defendeu a cobrança displicente do atacante, aos 39 da etapa inicial. Quando tudo indicava que a primeira etapa terminaria empatada, dois minutos depois, após rápida jogada pela direita, o Volta redonda se redimiu do pênalti perdido e abriu o marcador aos 41 minutos, com Luciano Naninho. A comemoração dos jogadores do Voltaço foi tão grande que um dos atletas que estavam no banco de reservas entrou em campo para abraçar o autor do gol e acabou advertido com o cartão amarelo. E os lances polêmicos não terminaram por aí. Após reclamar de uma falta marcada contra seu time, já nos acréscimos, o juiz do jogo não gostou da reação efusiva do treinador do Jerson Testoni, do Brusque, e também advertiu-o com um cartão amarelo.

Antes do início da segunda etapa, o time catarinense fez duas substituições para tentar mudar o placar do jogo. E o segundo tempo começou diferente do primeiro, desta vez com o time da Cidade do Aço comandando as ações em campo. Os acontecimentos atípicos continuaram a todo vapor, muito por conta também da pressão exercida por integrantes da comissão técnica do Brusque, como jogadores, que gritavam efusivamente no decorrer da partida. E desta vez, foi a vez de o treinador do Volta Redonda, Luizinho Vieira, reclamar de uma marcação contra seu time e ser advertido também pela arbitragem, aos 11 minutos da etapa final. Logo depois, aos 18 minutos, após contra ataque rápido da equipe do Volta Redonda, o zagueiro catarinense, que já havia levado cartão amarelo cinco minutos antes por uma entrada temerária, cometeu nova infração próximo a risca da grande área e foi expulso, deixando o Voltaço com um jogador a mais e a já vantagem numérica no placar. Seis minutos depois, porém, quando a equipe do Brusque já tinha um jogador a menos e parecia entregue na partida, organizou um rápido contra ataque pelo meio que pegou a defesa auri-negra de surpresa e Geovane Itinga empatou o marcador: 1 x 1.

Ainda abatidos com a ducha de água fria que haviam acabado de levar, os jogadores do time da Região Sul Fluminense, ficaram incrédulos quando, aos 28 da segunda etapa, sofreram novo contra-ataque rápido e o time catarinense virou o marcador através de Thiago Alagoano: Volta Redonda 1 x 2 Brusque. Uma verdadeira hecatombe no estádio Luso Brasileiro, que aquela altura, era palco de uma partida ligada nos 220 volts. Três minutos mais tarde, em nova jogada rápida pela esquerda, a equipe catarinense teve a chance de marcar o terceiro e definir o placar. Só que o goleiro do Voltaço, desesperado, saiu da grande área e, como era o último homem, meteu a mão na bola na intermediária e também foi expulso, deixando ambas equipes com dez jogadores. O jogo, então, ficou numericamente igual e voltou a ficar morno, e a equipe visitante dava indícios de que venceria fora de casa. Só que, para a partida fechar com chave de ouro, após os quatro minutos de acréscimo assinalados pela arbitragem, o Volta Redonda teve um escanteio a seu favor pela esquerda, aos 48 da segunda etapa, e após bate rebate na área, o atacante João Carlos, um dos artilheiros do Campeonato Carioca, empurrou para o fundo da rede, dando números finais à partida: Volta Redonda 2 x 2 Brusque. Na próxima rodada do Campeonato, o Volta Redonda vai até o Estádio do Café, em Londrina, visitar a equipe local. A partida será disputada no próximo domingo, dia 04/10, às 16hs. Já o Brusque recebe o time do Criciúma, no duelo catarinense da Série C, na próxima segunda-feira, dia 05/10, às 20hs, no estádio Augusto Bauer, na cidade homônima.

 

mm

Repórter: Marcio Miceli

Jornalista

mm

marcio-micelli

Jornalista

Leave a Comment