Vasco da Gama é o terceiro time carioca a conquistar vaga na quarta fase da Copa do Brasil Diante do Goiás, Gigante da Colina reverte placar adverso do primeiro jogo e, nas cobranças de pênalti, garante classificação à próxima fase da competição

O futebol carioca está em festa. Após as classificações obtidas por Fluminense e Botafogo à próxima fase da Copa do Brasil, a equipe cruzmaltina, que havia sido derrotada em casa pela equipe goiana no jogo de ida, em São Januário, no dia 12/03/20, pelo placar de 1 x 0, devolveu o placar por 2 x 1 em Goiânia e se classificou diante da equipe esmeraldina nas cobranças de pênalti. Na ocasião, aquela havia sido a última partida realizada em âmbito nacional com torcida antes da paralisação de todas as competições nacionais de futebol por conta da Covid-19. Na época o Vasco da Gama ainda era treinado por Abel Braga, que realizava seu penúltimo jogo a frente da equipe vascaína. Desta vez de técnico novo, com uma nova filosofia de jogo implantada e em um cenário completamente diferente, o time cruzmaltino, agora comandado pelo ex-jogador Ramon Menezes, conseguiu sua sexta vitória em sete jogos e conquistou o melhor aproveitamento entre todas as equipes da Série A “pós pandemia”. Mas a partida não começou fácil para o Gigante da Colina. O Goiás, comandado por Tiago Largh, que estreava como técnico nesta partida após a demissão do treinador Ney Franco, mesmo em vantagem no placar agregado, é quem começou dominando as ações do jogo e desperdiçando algumas chances de gol. Aos poucos o Vasco equilibrou a partida e também tentou algumas investidas ao ataque.  Até que aos 32 minutos, em um cruzamento pela esquerda do jogador Henrique, a bola desviou no lateral goiano Pintado, encobriu o goleiro Tadeu e morreu no fundo do barbante. O goleador vascaíno Germán Cano, que vinha “fechando” dentro da pequena área, ainda chegou a raspar na bola, já debaixo do gol, mas o tento foi atribuído ao lateral Henrique, que marcou pela primeira vez com a camisa cruzmaltina após 164 jogos disputados. Quando parecia, então, que o Vasco da Gama terminaria em vantagem no primeiro tempo, o time goiano teve um escanteio a seu favor pela direita aos 43 minutos, a bola foi alçada na área, resvalou em dois jogadores alvinegros antes de sobrar limpa para o ex-jogador vascaíno Rafael Vaz, que só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo do gol e deixar tudo igual no placar: 1 x 1.

Novamente em vantagem no placar agregado, a equipe goiana voltou para o segundo tempo disposta a se aproveitar do desespero vascaíno. Só não contava que logo no início, aos 4 minutos, o meia Benítez iria receber uma bola limpa pelo meio de Talles Magno e arriscaria um chute de fora da área, que desviaria na zaga e pararia dentro do gol goiano novamente. Vasco 2 x 1 Goiás e confronto empatado. Depois disso o que se viu foi uma partida bastante equilibrada e nenhuma das equipes demonstrava interesse em levar a disputa da vaga para as penalidades máximas. Tanto o Vasco como o Goiás criaram muitas chances de gol e só não o fizeram porque ora contavam com a boa intervenção de seus goleiros, ora pecavam pela falta de sorte. O jogo poderia ter terminado em 3 x 3 ou até 4 x 4. Mas não adiantou. Fim do tempo regulamentar e disputa dos pênaltis para definir o próximo classificado à quarta fase da competição. O Goiás iniciou as cobranças. Daniel Bessa chutou forte e isolou. Era a vez do vascaíno Germán Cano. O artilheiro argentino foi para a bola e bateu firme: “caixa!” Goiás 0 x 1 Vasco. O zagueiro Rafael Vaz, autor do gol goiano no jogo foi para a bola e bateu firme: lá dentro! Foi a vez do lateral vascaíno Yago Pikachu: caminhou, bateu e… atrasou para o goleiro Tadeu, que nem teve trabalho ao defender. Goiás 1 x 1 Vasco. Agora o atacante goiano Keko foi para a bola e guardou, tirando de Fernando Miguel. O meia central Benítez, autor do segundo gol vascaíno, correu para a bola e… “bingo”! Goiás 2 x 2 Vasco. Chegou a hora de Rafael Moura “He-man”, centroavante goiano: foi para a marca da cal e… mal. Bateu no centro do gol e Fernando Miguel defendeu com tranquilidade. Agora o meia cruzmaltino Bruno César tinha a chance de colocar o Vasco em vantagem caso marcasse. Caminhou até o pênalti e cobrou com muita categoria: Goiás 2 x 3 Vasco. Se o atacante do Goiás Marcinho perdesse a classificação seria do Gigante da Colina. Ele foi para a bola e bateu fraco, à meia altura. Fernando Miguel defendeu mais uma vez e garantiu a classificação vascaína, antes improvável, para a quarta fase da competição. No próximo sábado, às 19 horas, no Maracanã, Fluminense e Vasco se enfrentam pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, em um clássico que tem tudo para ser eletrizante por conta das classificações de ambas as equipes na competição e da boa colocação de ambos no Brasileirão 2020. Já o Goiás, após conquistar sua primeira vitória no campeonato no último sábado diante do rival Atlético Goianiense, folga na rodada porque o Grêmio, seu próximo adversário, estará envolvido na decisão do Campeonato Gaúcho.

mm

Repórter: Marcio Miceli

Jornalista

mm

marcio-micelli

Jornalista

Leave a Comment