Times da Série A do Rio de Janeiro deverão disputar uma categoria do futebol feminino A decisão segue o estatuto da Fifa de igualdade de gênero

Foto: Úrsula Nery/Agência FERJ

Foto: Úrsula Nery/Agência FERJ

A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ) oficializou em Assembleia Geral, comandada pelo presidente Rubens Lopes, a exigência de clubes da Série A que participarão de competições organizadas pela instituição, disputem uma categoria de futebol feminino em 2020. A decisão segue as definições feitas pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL), em 2016, e pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em janeiro deste ano. O anúncio foi feito junto com a divulgação da aprovação do orçamento e calendários administrativos e esportivos do próximo ano.  

A decisão foi comemorada pela advogada especialista em direito desportivo Luciana Lopes, que trabalha pela profissionalização das mulheres no futebol carioca. 

“A decisão foi mais uma vitória, e não só para o futebol feminino, mas para todas as mulheres. A obrigatoriedade também é um passo muito importante para a profissionalização começar a acontecer no Rio de Janeiro como já acontece no futebol feminino paulista” reconhece a Dra Luciana. 

Foto: Arquivo pessoal Dra. Luciana Lopes

A CONMEBOL divulgou em 2016 novos estatuto e regulamento de licença dos clubes. Uma das principais mudanças foi a criação da exigência de que todas as equipes que pretendessem disputar a Copa Sul-Americana ou a Libertadores precisariam ter uma equipe de futebol feminino. O tempo de adaptação era de dois anos, portanto, a obrigatoriedade passou a valer neste ano de 2019. A alteração foi uma atitude para entrar em conformidade com o artigo do estatuto Fifa que prevê a igualdade entre os gêneros. 

 A CBF, no início deste ano, passou a obrigar que todos os times participantes do Campeonato Brasileiro mantenham que disputem ao menos um campeonato oficial. A decisão seguiu as orientações da CONMEBOL. A partir da decisão, o calendário de jogos femininos ficou mais extenso, jogos oficiais e amistosos foram transmitidos pela primeira vez e, claro, novas equipes foram criadas.

mm

Repórter: Kenia Telles

Jornalista

Leave a Comment