Flamengo tem atuação desastrosa e é goleado pelo Independiente Del Valle Pela terceira rodada da fase de grupos rubro-negro é presa fácil na altitude de Quito, no Equador

Após um longo hiato de seis meses de paralisação na Copa Libertadores da América, por conta da paralisação causada pela pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19), o Flamengo voltou a campo pela terceira rodada da fase de grupos. Novamente fora de casa, após o duelo diante do Junior Barranquilla na primeira rodada da competição, só que desta vez para enfrentar um velho conhecido: a equipe equatoriana do Independiente Del Valle, campeã da Copa Sul-americana em 2019 e vice-campeã da Recopa Sul-americana em 2020. Justamente para a equipe rubro-negra. Só que, diferentemente do duelo ocorrido no início do ano, em Fevereiro, quando o time do Flamengo empatou em 2 x 2, ainda sob o comando do técnico português Jorge Jesus, o time da Gávea perdeu por um resultado acachapante: 5 x 0 para a equipe da casa. Com o resultado, o “Urubu-Rei”, antes líder do seu grupo com 6 pontos pelo saldo de gols, perdeu a liderança para os próprios equatorianos, que agora somam 3 vitórias em 3 jogos, e empurraram os rubro-negros para a vice-liderança do grupo com 6 pontos e saldo negativo de menos 1 gol.

Durante toda a partida, o Flamengo pareceu sentir a altitude desta vez e foi pressionado durante todo o jogo, porém, no primeiro tempo, a equipe só levou um gol, aos 40 minutos de jogo, em belo chute de Caicedo. No segundo tempo, no entanto, o pior estava por vir. Arriscando muitos chutes de fora da área e com a vantagem de estarem jogando na altitude de 2.850 metros de Quito, as chances do Independiente Del Valle surgiram em profusão, e a porteira começou a ser aberta logo após o segundo gol. Uma sequência de erros e um Flamengo totalmente apático, aparentando cansaço e abatimento, acarretaram no terceiro, quarto e quinto gols equatorianos. O resultado vexatório e por uma diferença de cinco gols, fato que não acontecia com o Flamengo desde 2009 no Campeonato Brasileiro, pôs em xeque a efetividade rubro-negra diante do comando técnico de Doménec Torrent e gerou uma instabilidade em correntes políticas rubro-negras, que desejam a saída iminente do treinador espanhol. Esta foi a pior derrota do clube em sua história na Libertadores. A goleada sofrida por 5 x 0 também entrou para a história da competição porque nunca um atual campeão da Libertadores perdeu por cinco gols de diferença no ano subsequente ao qual foi campeão.

Pela próxima rodada da competição, que será realizada amanhã também no Equador, só que em Guayaquil, que é ao nível do mar, o Flamengo enfrenta o Barcelona local, vice-campeão em 1998, em busca de recuperação. A equipe equatoriana é a lanterna de seu grupo, com três derrotas em três jogos, o que pode facilitar a vida rubro-negra. Acontece que o time da Gávea tem diversos problemas para este jogo: 7 jogadores testaram positivo para a Covid-19 (Diego Ribas, Vitinho, Bruno Henrique, Isla, Matheuzinho, Filipe Luís e Michael) e Gabriel Barbosa, artilheiro do time no ano, está com uma lesão na coxa e também deve desfalcar a equipe. Mesmo com tantos desfalques, o Fla busca recuperação na competição já que, depois do jogo de amanhã, que será realizado às 19h15 pelo horário de Brasília, no estádio George Capwell, a equipe decide sua classificação com dois jogos em sequência em casa. Desta vez, parece que o tão criticado treinador, acusado de fazer inúmeras mudanças em um time que já estava pronto, não poderá inventar muito já que as opções que terá desta vez para montar a equipe serão escassas.

mm

Repórter: Marcio Miceli

Jornalista

Attachment

mm

marcio-micelli

Jornalista

Leave a Comment